Como uma mulher pode impulsionar a carreira depois dos 50?

Ao longo de nossas carreiras todos nós já trabalhamos e continuaremos dividindo nossos dias com os mais diversos tipos de pessoas. Desta forma, ainda que de maneira não intencional, acabamos observando dilemas que cada perfil de profissional encara na jornada vida X trabalho.


Um dos perfis que mais me chama atenção é o de mulheres, na casa dos 50 anos, que resolvem acelerar suas carreiras justamente no momento em que a maioria das pessoas começam a pensar em pisar no freio.


Para este perfil de mulheres, a combinação de ninhos recém-vazios, uma ampla experiência profissional e a liberdade financeira tornam a meia idade, o momento perfeito para finalmente impulsionar suas carreiras.


Aquele papo de “não tenho mais idade para isso” não cola nessas mulheres. Segundo relatório do IBGE, a longevidade produtiva do brasileiro alcançou a maior média da história: 76 anos. Mais do que nunca, os 50 são os novos 30 como dizem por aí.


No entanto, muitas vezes é mais fácil falar do que fazer. Como uma mulher de 50 e poucos anos pode se motivar e se reenergizar na carreira para aproveitar ao máximo esse novo momento? É importante se fazer alguns questionamentos que podem ajudar qualquer profissional a traçar seus novos objetivos.




Como seria sua carreira se nada estivesse em seu caminho?


Os 50 anos significam investir na segunda metade da vida. É importante refletir e, de maneira tranquila se perguntar coisas como: o que está faltando na sua vida? No seu trabalho? Que tipo de diferença quer fazer? Como é o seu emprego dos sonhos? Que mudança de carreira faria se soubesse que não podo falhar? Pelo que quer ser lembrada?


Algumas pessoas têm como objetivo maior progredir para posições de liderança, enquanto outras imaginam uma função nova e mais gratificante para si mesmos. Há também os que consideraram deixar tudo pra trás e para investir em projetos pessoais.


Muitos dos casos dessas mulheres acima dos 50 anos são de mães que viram seus filhos se formarem e saírem de casa em busca dos próprios objetivos e sonhos. Neste momento percebem que passam a ter mais tempo, energia, foco e liberdade para reinvestir em sua vida profissional e querem sair de sua zona de conforto técnico e se concentrar em liderar os outros, inclusive em oportunidades de fora de suas cidades, estados e até países.


Quais permissões precisa conceder a si mesma para se tornar quem deseja ser?


Muitas mulheres se apegam a definições muito rígidas de um eu singular que não permite que elas se envolvam e desenvolvam outras identidades potenciais como uma liderança ou habilidades como networking. Isso faz com que muitas não se permitam pedir ajuda, sentindo que isso iria contra seus valores fundamentais de independência, autonomia e força. Enquanto isso, há quem se orgulhe de simplesmente fazer o trabalho sem buscar holofotes. É importante interrogar e enfrentar essas crenças limitantes para expandir sua identidade e enriquecer seu conjunto de habilidades.


Como você pode construir e acessar sua rede de suporte?

Pode parecer simplório, mas é importante pegar papel e caneta e anotar quantos nomes puder para cada uma das categorias abaixo:


Campeões de carreira: quem vai te apoiar a qualquer custo?

Fontes de feedback: Quem te dará feedback honesto sobre seu desempenho e te desafiará a melhorar?

Sistema de suporte emocional: quem te dará um impulso positivo?

Sábios organizacionais: quem vai te ajudar a entender os meandros da organização?

Mentores: Quem vai te ajudar a pensar nas decisões pessoais e profissionais?

Conectores: Quem tem uma rede grande e diversa e deseja te apresentar a outras pessoas?


Pessoas poderosas: quem tem o poder de fazer as coisas acontecerem?

Dessa forma, cria-se uma lista de colegas fundamental para que se possa identificar novas oportunidades e conexões com os principais tomadores de decisão. Além disso, o exercício é valioso pois ajuda as mulheres a enxergarem seu papel dentro das organizações de maneira mais transparente, fazendo com que se sintam mais à vontade e confiantes com o processo todo.


Importante: Quando você inventariar seus apoiadores, não se esqueça de se incluir. Você é a sua aliada mais forte.


O que precisa aprender?

Bons líderes estão constantemente aprendendo. De quais habilidades, informações ou autoconhecimento você precisa para chegar onde deseja? Para cumprir os objetivos de um final de carreira muitas pessoas precisam se reciclar de alguma forma, ainda que seja em coisas simples como atualizar currículos, preparar biografias e perfis do LinkedIn e engajar-se nas redes sociais.


Se você está há algumas décadas em sua carreira e quer impulsioná-la, pense no que você quer ser, fazer e sentir, reconheça as crenças e suposições que podem estar em seu caminho e identifique quais novos conhecimentos ou habilidades a ajudarão a alcançar seu objetivo. A partir disso, avance com ousadia pois o pior arrependimento é aquele pelas coisas que não fizemos enquanto havia tempo.


0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
  • Facebook
  • LinkedIn
  • Instagram

Páginas

Siga a Innovaty nas redes sociais